OUTUBRO ROSA: A MELHOR FORMA DE COMBATER É DETECTAR CEDO

A campanha do Outubro Rosa começa em Nova Hartz e traz como principal tema a conscientização sobre a importância da detecção precoce da doença e sua prevenção. Esse trabalho será realizado pelas Equipes de Saúde da Família durante a visita dos Agentes Comunitários de Família, consultas médica e de enfermagem com a realização do exame clínico das mamas. A Secretaria de Saúde lembra que estes exames não são oferecidos somente durante a campanha, mas em todas as consultas em saúde da mulher.  

ALÉM DOS EXAMES

 Além das ações realizadas pela Secretaria da Saúde, o município também apoia a Liga de Combate ao Câncer através da venda de camisetas do Outubro Rosa, da realização de chá beneficente no dia 20 deste mês e do pedágio, que ocorre nesta sexta-feira e sábado, dias 5 e 6. Essas ações irão reverter em verbas repassadas integralmente para a Liga de Combate ao Câncer de Nova Hartz.

SEM FILA!

 Nova Hartz não tem fila para exames de imagem preventivos para o câncer de mama. Os pacientes são encaminhados para realização de ecografias na Clínica Intra, em Sapiranga, e também possuímos serviço de Ecografia na Unidade Básica de Saúde Central. Já as mamografias são realizadas no Hospital de Sapiranga e na Clínica Intra. Então, não há desculpas para não fazer exames preventivos. Quanto mais cedo for detectado, mais eficaz é o tratamento.

 NÃO ACHE QUE SÓ MULHER PODE TER CÂNCER DE MAMA

Você sabia que homem também pode ter câncer de mama? A doença é mais comum em mulheres, mas os homens também podem ter a doença. É importante mencionar que muitas pessoas não sabem que os homens têm tecido mamário, e podem desenvolver o câncer de mama.

Em homens, o câncer de mama é cerca de cem vezes menos comum. Para os homens, o risco de ter câncer de mama ao longo da vida é cerca de um em mil, mas mesmo assim, não dá para dar bobeira.

 NÚMEROS EM NOVA HARTZ

Há uma pequena melhora nos números de câncer de mama em Nova Hartz. Em 2017, foram ao todo 20 casos. Uma média de 1,66 ao mês. Já neste ano, foram 12 novos casos da doença. A média de janeiro a setembro foi de 1,33 casos por mês.

Publicado no dia 04/10/2018 por Gian Cristiano Wagner.